Prova de vida do INSS: o que muda em 2022?

O que é a prova de vida do INSS?

Posts
Recentes
inss prova de vida

Prova de vida do INSS: o que muda em 2022?

A prova de vida do INSS passou por algumas modificações. Agora, ao invés do segurado mostrar que está vivo, cabe ao INSS verificar que ele não morreu. Isso significa que ele não é mais presencial, mas baseado em uma série de dados cruzados pelo governo. 

Antes dessa modificação, o segurado precisava ir presencialmente até uma agência bancária. Os segurados com biometria facial, por exemplo, conseguiam fazer a comprovação através do aplicativo Meu INSS. 

Agora não é mais necessário ir presencialmente até uma agência, sendo apenas a última escolha. O INSS utilizará outros recursos para realizar essa comprovação. Conheça, a seguir, mais detalhes da prova de vida do INSS. 

inss prova de vida

É aposentado e está precisando de dinheiro? Acesse aqui e conheça o Na Sua Conta! 

O que é a prova de vida do INSS?

Antes de descobrir quais foram as mudanças na prova de vida do INSS, é necessário compreender do que se trata esse termo. A prova de vida, também conhecida como “renovação de senha”, é um procedimento obrigatório entre os segurados. 

Este procedimento é obrigatório para os segurados do INSS que recebem o pagamento via conta corrente, cartão magnético ou conta poupança. Para continuar a receber os valores correspondentes ao benefício, é necessário comprovar que está vivo. 

Antes das mudanças acontecerem, para realizar a prova de vida, o segurado deveria comparecer pessoalmente em uma agência. Hoje, por conta das recentes mudanças, essa não é mais uma necessidade. 

Quais foram as mudanças que ocorreram na prova de vida?

A princípio, a comprovação da prova de vida aconteceria da seguinte maneira: o segurado deverá comprovar ao INSS que está vivo. Entretanto, com as recentes mudanças, quem deve fazer a comprovação é o próprio INSS. 

Hoje a ida ao banco é opcional, e é utilizada em último recurso. O INSS utilizará as seguintes comprovações: dados relacionados a votação em eleições; comprovação de vacinação; renovação do RG; consultas ao SUS; entre outros. 

Dessa forma, se alguma movimentação aconteceu nos últimos dez meses, o INSS considera o segurado como vivo. Porém, se não houver nenhuma movimentação, o órgão utiliza de outros recursos para comprovar a vida do cidadão. 

Desde que o anúncio foi realizado, o INSS está estudando novas formas de generalizar a prova de vida digitalmente. E, a partir de 2023, espera-se que a comprovação seja feita com o envio de fotos. Este novo processo será implementado gradualmente a partir do dia 31 de dezembro. 

A data da prova de vida continua a mesma?

Ao contrário da comprovação, a data da prova de vida continua a mesma. Neste caso, ela continua sendo o mês de aniversário do segurado. Essas novas regras são válidas para todos aqueles que fazem aniversário após o dia 2 de fevereiro, data de divulgação das mudanças. 

Vale ressaltar que, se o segurado deseja regularizar as pendências dos anos anteriores, ele pode ir presencialmente até o banco. Segundo a portaria, o segurado só não pode ser obrigado a comparecer presencialmente ao órgão. 

Hoje, mais de 35 milhões de aposentados e pensionistas do INSS precisam realizar essa comprovação. E esse procedimento acontece anualmente. Essas mudanças surgiram para facilitar o dia a dia dos idosos, reduzindo os riscos referentes a problemas de saúde. 

Como a prova de vida será validada?

A prova de vida do INSS utilizará de diferentes recursos para realizar a comprovação. Afinal, com exceção da comprovação digital, todos os anos os segurados deviam ir presencialmente até uma agência bancária ou na Previdência Social

E, como citado anteriormente, agora os aposentados ou pensionistas do INSS não precisam realizar essa comprovação presencialmente. Existem outros meios para comprovar que o segurado está vivo em 2022, são eles.

  • Acessando o aplicativo Meu INSS (Android e iOS);
  • Realizando um empréstimo consignado através do reconhecimento biométrico;
  • Através da comprovação da vacinação;
  • Realizar o cadastro ou o recadastro da CNH;
  • Realizando uma Perícia Médica presencialmente ou por meio da telemedicina;
  • Comprovante da votação nas eleições;
  • Atualização no CadÚnico;
  • Emissão ou renovação dos documentos pessoais, como o RG;
  • Através da Declaração do Imposto de Renda. 

Todos estes comprovantes são válidos quando realizados há 10 meses atrás. E, caso nenhuma dessas alternativas funcione, o INSS recorrerá a outras medidas para comprovar a vida do segurado. 

inss prova de vida

Por que essa mudança foi feita?

Como citado anteriormente, essa medida foi aplicada para facilitar o dia a dia dos aposentados ou pensionistas do INSS. Agora que eles não precisam ir anualmente comprovar a vida, eles correm menos riscos. 

Porém, mesmo que fique mais fácil para os segurados, o Governo Federal utiliza recursos intensivos para comprovar a vida do mesmo. Isso significa que eles farão fiscalizações mais intensas para evitar fraudes. 

Vale ressaltar que, como citado, essas medidas foram propostas para facilitar o procedimento e evitar o risco de fraudes. Por outro lado, caso o segurado queira realizar o processo presencialmente, ele não está impedido. 

O que não pode acontecer é o seguinte: o INSS obrigar o segurado a comparecer presencialmente até o banco.